27 de março de 2014

Letting go...


... se antes a minha tara por rótulos era já um facto, hoje a coisa torna-se numa necessidade para sobreviver e limitar muitas desilusões!! E se há coisa que tenho feito por aqui é a ler as embalagens, porque isto de olhar só para a imagem do dito produto não chega, ainda para mais quando a oferta é demasiada e embalagens "inspiradoras" é coisa que não falta...acontece que este hábito às vezes é esquecido e no impulso lá vem uma porcaria que ninguém lhe consegue deitar o dente...


Toda esta lengalenga para vos voltar a falar da minha obsessão por philadelphia e da minha imensa vontade em barrá-los numas torradas...um desejo simples, mas que se tem tornado numa saga!! Quando se lê numa embalagem french toast, o toast é por si só bastante esclarecedor, de tal forma que o french vai à vida e sem pensar e olhar uma segunda vez, enfiamos as supostas torradinhas no cesto e animadas da vida seguimos para uma caixa registadora...tudo muito simples, até ao momento em que finalmente abrimos o pacote e sentimos um cheiro estranho, ignoramos por momentos e pensamos que são coisas da nossa cabeça. Quando finalmente achamos que nos vamos deliciar com uma simples torrada, a saber nada mais nada menos que a pão, eis que aquela porra sabe tudo menos a isso!!! Tenho um ataque, pois aquela porcaria sabe a vinho, a frutose e sei lá mais o quê!!!
Irritada salto para a internet, na esperança de compreender afinal o que havia comprado e chego à brilhante conclusão de que o french não está ali a enfeitar e que a french toast é um "culto" e que até a senhora Nigella é fã desta coisa...
Concluindo aqui as coisas, encontro-me em modo traumatizado e de momento nada de torradas e tostas para mim, muito menos philadelphia!!! 


...



Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela visita e comentário...