17 de julho de 2017

Movimento




Movimento e a sua essencialidade no nosso quotidiano é irrefutável, certo?! 

A importância de mexer o corpo regularmente é fundamental para um estilo de vida saudável, não só em termos corporais como até mesmo mentais e quanto a isso não existem dúvidas. A hype mental depois de uns minutos a correr, a andar ou até mesmo numa aula de pilates é inexplicável, mas o que deveria ser uma atividade lúdica e minimamente agradável, tornou-se num qualquer martírio cujo objetivo final é a completa manipulação e transformação corporal!



Nada contra transformações e manipulações se isso for aquilo que te deixa feliz e profundamente satisfeito contigo próprio, o que me perturba a mente são as constantes pressões, sobretudo nas mulheres, para a perda de peso, restrições alimentares e comparações.

Perturba-me o facto do aumento da massa corporal ser motivo de conversa, comentários e perguntas desnecessárias, quando ao contrário o mesmo já não aconteça. Perturba-me as conjeturas de  que ser mulher exija a necessidade de me encaixar num tamanho ou peso especifico completamente contra a naturalidade e estrutura óssea que me é naturalmente e fisicamente inerente.

16 de julho de 2017

How to Spot Craving Chocolate!


Numa sociedade obcecada pelas palavras clean eating, suplementos e superfoods comer chocolate tornou-se num ato extremamente pecaminoso e punível com uns quantos olhares de desaprovação, comentários inapropriados e sucessiva perda de followers no Instagram.

Vivemos num constante sentimento de culpa em relação ao que colocamos no interior do nosso corpo, a que horas o colocamos e o mais importante, como o colocamos!! Falamos de pós poderosos, que muitas vezes nada fazem ao nosso sistema, de manteigas, de pólen (!!), glúten e não glúten e no final das contas, esquecemo-nos de simplesmente comer.



Parece haver um sem fim de teorias sobre o que comer, no entanto, quando a conversa recaí sobre o chocolate e o açúcar parece haver um enorme consenso. Todos nós sabemos que o consumo de açúcar deve ser moderado, pois não só parece estar associado ao desenvolvimento de doenças, como ao possível envelhecimento precoce da pele. Mas numa sociedade promotora de dietas e do clean eating, parece não existir um meio termo e o chocolate passa apenas a ser retratado como um qualquer veneno promotor do aumento de peso, sendo a sua abolição absolutamente fundamental.